“Tecnologia é aliada da segurança Pública”, afirma coronel Peres

Por Maria das Graças Salvador 06/12/2019 - 00:00 hs
Foto: Sergio Teixeira/5ª RPM
“Tecnologia é aliada da segurança Pública”, afirma coronel Peres
Comandante da 5ª RPM afirma que a tecnologia está sendo aliada importante da Polícia Militar

A tecnologia veio para integrar as ações das polícias. A declaração é do comandante coronel Lupércio Peres Dalvas, Cel Peres, da 5ª Região da Polícia Militar. “A tecnologia está aí para agregar e temos vários projetos em andamento. Um deles é a expansão de câmeras com OCR (reconhecimento ótico de caracteres) em todas as cidades. Colocamos o nosso efetivo todo na rua, independente se ele trabalha na área administrativa, vai para a rua sempre. Hoje estamos potencializando nosso trabalho com a tecnologia embarcada. A ideia é expandir, com as patrulhas rurais, o projeto Mais Segurança no Campo, que tem a ver com câmera, que é uma ferramenta importante, mas por si só não é uma solução”, afirma o cel Peres. 

O comandante destaca que atualmente os policiais trabalham com tablet nas viaturas para fazer e acompanhar as ocorrências, fazer consultas no próprio veículo, além de ter GPS para acompanhamento e apoio imediato às viaturas. “Através destas tecnologias os policiais detectam que um veículo foi roubado, porque tem um sinal sonoro no tablet que acusa. Em pouco tempo todas as viaturas terão estas tecnologias. Também estamos implantando o trabalho em moving, já que muitas casas têm câmeras em sua residência e pode abrir as imagens no celular. A Polícia Militar está se mobilizando para as pessoas deixarem que estas imagens sejam acessadas na Central. Não as imagens da casa, mas das ruas. As pessoas poderão disponibilizar através de nuvem e a polícia pode consultar. Se teve um crime na avenida Santos Dumont, para exemplo. Através de nuvens de acesso a polícia terá acesso às imagens ela consegue identificar, ver detalhes como a cor do veículo que atuou, qual foi a direção de fuga”, diz.

Segundo o comandante, atualmente a Polícia Militar utiliza dessas câmeras, mas tem que bater na porta do cidadão para poder verificar essas imagens. Se as imagens estiveram acessíveis em real, a resposta será mais rápida. “O tempo é importante e nosso aliado. Ou seja, será mais um mecanismo que já está nas ruas e é só operacionalizar e nós conseguimos maximizar e potencializar. A ideia é usar a tecnologia para fazer mais com menos recursos.


Segurança no Campo – Cel Peres destaca, também, o projeto Segurança no Campo, “um projeto que está levando tecnologias para o campo também uma forma inovadora de fazer vigilância na área rural. Conseguimos instalar câmeras a preços compatíveis e possíveis de serem executados na área rural. Atualmente temos oito câmeras que estão funcionando na área rural, mandando imagens para o Copom e a previsão é de chegar a 27 câmeras. Cada câmera tem um leitor e nos locais onde não tem ponto de energia e com dificuldade de transmissão de dados, a captação é feito com energia solar. A transmissão de dados de imagem é feita via rádio. É a tecnologia aliada à segurança mais uma vez. Isso tem surtido efeito extremamente importante sobre a redução criminal na área do campo e proporcionado sensação de segurança”, informa.

Cel Peres lembra que foi criado um aplicativo, que está com mais de 14 mil propriedades rurais já cadastradas e catalogadas. “É um aplicativo construído pela Polícia Militar, por um sargento de Frutal. A ideia nossa é catalogar todas as propriedades, cadastrando através de um sistema de latitude e longitude que permita ao policial chegar com mais rapidez na propriedade rural, porque tempo é extremamente importante na segurança pública. Temos as redes de propriedades rurais protegidas, que têm reuniões e discutem segurança pública, com um grupo de WhatsApp que facilita a conversação entre os proprietários e entre eles e a Polícia Militar” revela o comandante.