Família é torturada durante roubo e quadrilha, presa

Por Juliano Carlos 03/12/2019 - 00:00 hs
Foto: Juliano Carlos
Família é torturada durante roubo e quadrilha, presa
Acusados foram presos pela PM com os materiais roubados: Veículo roubado foi recuperado

Uma família viveu momentos de terror durante roubo a residência, onde um casal e uma criança de 11 anos foram agredidos e torturados. Os acusados, que eram vizinhos das vítimas, foram capturados pela Polícia Militar. O  assalto aconteceu em uma casa na rua das Laranjeiras, no bairro Nossa Senhora de Lourdes, onde, segundo informações das vítimas, W.O.S., de 43 anos, e D.A.L., de 29 anos, estavam em casa assistindo filme em companhia de uma criança de 11 anos, filha de D.,  quando foram rendidas por cinco criminosos que estavam armados com arma de fogo e uma faca.

Todos os moradores foram agredidos, sendo que um homem foi espancado e as vítimas foram trancadas em um dos cômodos da casa. Os bandidos pegaram cartões de crédito, foram em uma agência bancária tentar fazer o saque, mas como não conseguiram retornaram na casa e roubaram eletroeletrônicos, aparelhos televisores, forno microondas, pares de tênis, computador, celulares, além de dinheiro e outros objetos. Após o crime eles fugiram em um veículo das vítimas sentido a rodovia BR- 262. Policiais militares foram solicitados compareceram, na casa e encontraram as vítimas bastante abaladas. 

Uma viatura de resgate do Corpo de Bombeiros compareceu na residência e socorreu o homem, que estava bastante ferido com escoriações pelo corpo, trauma de tórax abdômen e contusões na cabeça. Ele foi encaminhado para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), onde permanece internado.

Os policiais iniciaram rastreamentos, foram até um imóvel no bairro Residencial 2000 e encontraram o carro que tinha sido tomado de assalto e os materiais.  Durante diligências, os militares prenderam cinco suspeitos identificados como A.A.AS., de 32 anos, C.L.M.A., de 18 anos, além das jovens C.S.C., de 21 anos, A.K.C.O., de 22 anis e um adolescente de 17 anos. Todos foram reconhecidos pelas vítimas, levados para a delegacia e apresentados à autoridade policial de plantão para esclarecimentos. 


ERRATA

Ao contrário do que a PM informou ao JORNAL DE UBERABA, nenhum dos acusados foi reconhecido pelas vítimas.