Zema economiza R$ 150 milhões com a reforma administrativa

Por Maria das Graças Salvador 01/12/2019 - 00:00 hs
Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG
Zema economiza R$ 150 milhões com a reforma administrativa
Governador de Minas Gerais, Romeu Zema

O governador do Estado de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), esteve em Uberaba ontem, onde participou, em agenda extraoficial, do evento Diálogo com o Novo, quando contou a estratégia realizada na campanha que o elegeu chefe do Executivo estadual. Também participou de almoço com lideranças empresariais e políticas, com o objetivo de arrecadar dinheiro para financiamento de campanhas eleitorais para seu partido, o Novo. Na agenda oficial estava a participação no leilão Amigos para o Bem.

Em entrevista ao JORNAL DE UBERABA, Zema fala sobre algumas realizações feitas nestes 11 meses de governo, mesmo tendo recebido o Estado com déficit, alguns projetos. Sobre as Eleições 2020 saiu pela tangente, com bom líder, para não se queimar com nenhum dos partidos, o mesmo fazendo quando questionado sobre a criação do Estado do Triângulo. Também afirmou que o governo está planejando a inclusão do Hospital Regional para receber recursos provenientes do Estado. No entanto, afirma que ainda não é possível prever valores e nem data.

O governador solicitou as perguntas, que foram enviadas via internet na quarta-feira (27 se novembro), e respondida por e-mail, um dia antes de ter acontecido o impasse sobre a regulação de leitos, motivo pelo qual não houve questionamentos. 


JORNAL DE UBERABA – Nestes 11 meses de governo, qual o balanço que o senhor faz? O senhor assumiu o Estado com grande déficit. Como ficaram as promessas da campanha eleitoral? Ainda pretende colocar os planos em prática?

Romeu Zema – Apesar de, infelizmente, ter encontrado o Estado com um déficit de R$ 34,5 bilhões, deixado pela administração anterior, estamos enfrentando a crise que atinge Minas Gerais e podemos apontar resultados significativos, ao longo desses 11 meses. Destaco que, com a reforma administrativa conseguimos implantar medidas que nos garantem uma economia anual de R$ 150 milhões. Temos resultados na saúde, com a negociação com fornecedores de medicamentos para que eles voltassem a entregar os remédios ao Estado. Na educação, garantimos 76 mil vagas para a escola em tempo integral, nos Ensinos Fundamental e Médio. Esses são somente exemplos, mas estamos preparando um balanço para apresentar o que realizamos neste ano, com impacto nas áreas da Segurança Pública, Econômica, Social. 


JU – Como está o relacionamento do senhor com a Assembleia Legislativa, há entraves, ou pressão por parte da oposição?

Romeu Zema – A intenção do governo é manter um relacionamento saudável com o Poder Legislativo Estadual, a fim de que sejam tomadas decisões necessárias e favoráveis ao desenvolvimento de Minas Gerais.  Nesse sentido, é importante uma atuação de maneira independente, mas mantendo sempre uma relação harmônica, de forma a não trazer prejuízo ao Estado e à população. 


JU – O senhor tem viajado o Estado, qual a avaliação do senhor?

Romeu Zema – Tenho visitado, frequentemente, as regiões do Estado para conhecer a realidade e as necessidades de cada uma. Dessa forma, a nossa administração busca valorizar as especificidades de cada município, abarcando áreas como saúde, educação, econômica, social. O Giro pelo Estado é uma importante iniciativa criada para aproximar o governo de todos os municípios, sem distinção entre os grandes e os menores.  Estou tento a oportunidade de ouvir o povo, para saber quais são os seus anseios.  Também converso com empresários para identificar as possibilidades de atrair investimentos para as regiões e criar postos de trabalho. Podemos observar, por exemplo, que até julho já foram criados mais de 124 mil empregos no Estado até outubro. 


JU – 2020 será ano de eleições, o senhor vai trabalhar diretamente nos processos para ajudar a eleger candidatos, em especial filiados ao partido do senhor, o Novo. O senhor veio a Uberaba para lançar a candidatura da Elisa Araújo?

Romeu Zema – Vim a Uberaba para participar, com muito prazer, do Leilão Beneficente Amigos para o Bem, neste sábado. Sobre as próximas eleições, como governador e como cidadão, torço para que sejam eleitos os candidatos que irão trabalhar verdadeiramente, com responsabilidade em seus municípios, somando para que tenhamos um Estado que ofereça as melhores condições à população.


 JU – O senhor tem dito serem necessárias a privatização de alguns órgãos como Cemig e Codemig. Como estão estes processos?

Romeu Zema – Primeiramente, o meu desejo é de que os serviços prestados à população funcionem bem e sejam efetivos, com entregas de qualidade.  No caso da Cemig, é necessário um investimento de R$ 21 milhões, para dar conta da demanda.  E o Estado não tem o recurso para tal investimento. De qualquer forma, a privatização dessa estatal está sendo avaliada por uma equipe técnica. Ainda iremos encaminhar a proposta à Assembleia Legislativa. Quanto à Codemig, já enviamos à Assembleia o projeto que trata da desestatização da Companhia. 


JU – Estão sendo implementadas reformas no país, como a previdenciária e tributária. Como o senhor vê estas reformas e em que elas irão ajudar na recuperação fiscal em Minas? A PEC paralela, que inclui os estados e os municípios na reforma da Previdência, foi aprovada há dez dias, com mudanças? Como o senhor avalia esta aprovação?

Romeu Zema – Continuo otimista e defendendo a inclusão dos Estados e dos municípios na Reforma da Previdência. Sobre a recuperação fiscal, o projeto da adesão ao regime também já foi encaminhado à Assembleia. O problema estrutural de Minas continua. E a previsão é de que as despesas sigam crescendo de forma acelerada. Somente com a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal será possível mudar a realidade em que o Estado se encontra. Se nada for feito, em cinco, dez anos, a situação será ainda pior do que está hoje. 


JU – O senhor tem dito que vai encaminhar uma reforma do regime previdenciário regional à Assembleia. Como está este projeto?

Romeu Zema – Nós temos um projeto, mas o encaminhamento à Assembleia será necessário somente se o Estado não for incluído na Reforma da Previdência.  


JU – Como está o “monitoramento” de seu governo anunciado pela direção do Novo? Como o senhor vê isso?

Romeu Zema – Vejo o monitoramento do Governo com muita naturalidade, não somente pelo Novo, mas por qualquer outro partido, associação que queira verificar os trabalhos que estão sendo desenvolvidos. A minha gestão será sempre transparente. O monitoramento do Governo é benéfico até mesmo para a população.


JU – Um sonho na região volta a ser ventilado, que é a criação do Estado do Triângulo Mineiro. Qual é a opinião do senhor?

Romeu Zema – Os esforços do Governo estão voltados para tirar o Estado de Minas Gerais da grave crise econômica que nos atinge. 


JU – O município de Uberaba está lutando para conseguir ajuda do Estado no custeio do Hospital Regional? Este custeio virá em 2020?

Romeu Zema – Solicitei ao secretário de Saúde um estudo quanto à Política Hospitalar do Estado de Minas Gerais. Em breve, teremos uma redefinição desses parâmetros e um novo formato. Nesta nova proposta, está planejada a inclusão do Hospital Regional para receber recursos provenientes do Estado. No entanto, ainda não é possível prever valores e nem data. 

 

JU – O senhor tem algum projeto específico para implementar em Uberaba e região?

Romeu Zema – A minha administração segue aberta ao diálogo com o município. Se em algum momento identificarmos que Uberaba ou qualquer outro município tenha demandas específicas e necessárias, para sanar determinada deficiência ou algum projeto interessante para promover melhorias, com certeza iremos analisar e atuar sistematicamente para viabilizar um projeto, dentro das possibilidades, considerando a atual situação do Estado. 


JU – O senhor gostaria de fazer mais alguma colocação?

Romeu Zema – Quero dizer aos mineiros que confiem em nossa gestão, porque estamos tratando os problemas do Estado com muita seriedade.