Pet News

Por Marcos Moreno 22/05/2020 - 00:00 hs

Exames veterinários! Quais os principais?

Quando o assunto é a nossa saúde, a orientação é bastante conhecida: todos devemos ir ao médico ao menos uma vez por ano para fazer alguns exames e passar por um check-up. Mas você sabia que a recomendação é a mesma para os nossos filhos de quatro patas e eles necessitam de exames veterinários?

Na verdade, considerando que são pacientes que não falam, os exames ganham uma importância ainda maior, porque os primeiros sinais clínicos das doenças podem não ser percebidos pelos tutores, fazendo com que o diagnóstico só seja feito quando o problema alcança um estágio avançado.


Hemograma

Para que serve: indicar processos inflamatórios e infecciosos, anemias, presença de hemoparasitas, além de evidenciar alterações plaquetárias e sugerir problemas de medula óssea (de produção de células sanguíneas).


Exame de urina

Para que serve: auxiliar no diagnóstico de diabetes e de outras doenças endócrinas, indicar a presença de infecção urinária, além de fornecer informações importantes em relação ao funcionamento do rim do animal.

Exame coproparasitológico (exame de fezes)

Para que serve: indicar a presença de vermes e protozoários causadores de doenças intestinais, como giardíase e isosporose.


Função renal

Para que serve: auxiliar na identificação de qualquer alteração na função dos rins.


Função hepática

Para que serve: diagnosticar alterações e possíveis doenças no fígado.


Glicemia de jejum

Para que serve: indicar os níveis de glicose no sangue, contribuindo para o diagnóstico precoce dos quadros de diabetes.


Ultrassonografia abdominal

Para que serve: como exame de rotina, serve principalmente para investigar alterações nos órgãos e glândulas abdominais, como pâncreas, fígado, rins, bexiga, adrenais e intestino; essas alterações podem ser de várias origens, como neoplásica (câncer), inflamatória, infecciosa etc.


Eletrocardiograma

Para que serve: avaliar a condução elétrica do coração, apontando a possível presença de arritmias e sugerindo alterações morfológicas de câmaras cardíacas, cujo diagnóstico deve ser firmado pelo ecocardiograma.


Exame sorológico para FIV e FeLV

Para que serve: diagnosticar a AIDS (FIV) e a leucemia (FeLV) felinas.

Esses são exames bastante básicos, mas, além deles, o médico-veterinário pode lançar mão de vários outros, de acordo com a faixa etária, a raça e o histórico do pet.

No caso de cães e gatos idosos, por exemplo, é comum a aferição dos níveis de colesterol e triglicérides, além da realização de radiografia de tórax e do SDMA, um biomarcador que indica alterações na função renal com até dois anos de antecedência em relação ao momento de elevação da ureia e da creatinina.


A importância do histórico do pet

Antes de pedir os exames veterinários, no entanto, o especialista sempre tentará se inteirar do histórico da saúde do pet. “Quando já se tem conhecimento de doenças prévias e dos resultados de exames feitos em momentos anteriores, se pode pode solicitar testes mais específicos e direcionar mais rapidamente uma investigação”, explica a Dra. Camila Sanches, médica-veterinária de uma grande empresa do segmento.

A especialista ressalta que a raça é outro fator que pode levar o veterinário a solicitar determinados exames. Ela cita, por exemplo, os cães da raça schnauzer miniatura, que têm predisposição à hiperlipidemia primária (altos níveis de gordura no sangue) e, por isso, devem ter colesterol e de triglicérides aferidos mais precocemente.

“Já em gatos, para citarmos outro exemplo, podemos indicar um teste genético para diagnóstico de doença do rim policístico em persas e mestiços dessa raça a partir dos 2 meses de vida”, completa a Dra. Camila.

Agora que você já conhece a importância de diversos tipos de exames veterinários para a saúde do seu filho de quatro patas, procure a clínica Petz mais próxima e agende já uma consulta com um clínico geral e não deixe de acompanhar aqui as promoções no Pet Shop on-line!